Kamen Rider Drive – Impressões e resumo

Eu pensei bastante antes de aceitar escrever para este Portal que carrega o nome e o legado do Crazycast. Eu podia escrever sobre meu livro favorito, o album da minha banda obscura favorita ou até mesmo sobre a minha série de canal pequeno com baixo orçamento, mas com roteiro genial que eu baixo por torrent, mas eu resolvi falar sobre um tema vindo do Oriente, então, Start Your Engine !

Bem galerinha do Youtube, brincadeira, não me matem, vamos falar de uma série de tokusatsu de 2015. Kamen Rider Drive, a história sobre um policial que após sofrer um acidente em missão e acabar ferindo seu parceiro em missão é rebaixado e deve trabalhar com um time de especialistas peculiares para evitar mais incidentes como o que o afetou. Sim, dizendo desse jeito, parece a premissa de uma série americana boa pra caramba que poderia passar até na HBO, e sinceramente, Drive se destaca entre outros tokusatsus e entre os Riders do período Heisei com uma trama mais “pesada” e com um roteiro bem amarrado, até mesmo piadas bobas tem na verdade pistas sobre vilões e personagens que na maioria das séries seriam apenas alívio cômico tem um desenvolvimento grande fazendo você amar ou até mesmo sentir o sofrimento do personagem que te fazem rir, algo como o palhaço depressivo.

 

“Trio Ternura da Série”

Deixando de falar para o cara que caiu de paraquedas e indo para os fãs ou aqueles que querem conhecer um pouco mais sobre essa série policial que eu falei e começando a tratar da trama em si, ela começa com um homem,seu nome, Tomari Shinnosuke, um jovem detetive da polícia de MetroCity de 23 anos que estava em missão perseguindo um criminoso durante a Global Freeze, um evento de escala mundial que fez toda a humanidade “congelar” por algumas horas, foi traumático para todos, não controlar o próprio corpo e ficar preso com seus pensamentos enquanto os Roidmudes, uma espécie de forma de vida baseada em dados digitais tenta dominar o mundo e evoluir (matar nem sempre é necessário, porém é divertido), para isso matando humanos e tomando suas formas, no momento do congelamento Tomari erra o tiro e acerta seu parceiro que sofre uma lesão grave no joelho fazendo que ele não possa mais ir a campo e dando uma brecha para o criminoso escapar.

 

Com a falha da missão e acidente ele é enviado para a equipe de operações especiais que passou a investigar a desaceleração, nome dado a esse evento, apesar do ataque,poucas pessoas acreditam nos monstros soltos naquele dia, já que eles se moviam e velocidade diferente, rápidos demais para o olho humano na maioria dos casos. O próprio alto escalão da polícia dúvida da necessidade do grupo de operações especiais e não dá um prédio próprio para eles, forçando-os a dividir com uma autoescola local, algo que gera algumas piadas (e brinde legal pro filme de verão), nesse time policiais renegados temos Tomari como detetive, Kiriko Shijima como policial que por algum motivo, revelado posteriormente, resolve por vontade entrar nesse grupo de desajustados,Rinna Sawagami um fisica brilhante que tem ideias mirabolantes para equipamentos nada discretos, Kyu Saijo o nerd do bando que é um consultor da polícia e otaku milionário, Genpachiro Otta, tira a moda antiga que começa incrédulo, mas logo aceita o rebaixamento como uma chance de fazer justiça e liderando essa bagunça temos Jun Honganji o chefe de polícia que poderia estar no Loucademia de Polícia ou Corra que a Polícia vem aí, mas no fundo é melhor que o Coronel Nascimento em Tropa de Elite 2, porque ele consegue peitar seus superiores corruptos e não se complica todo no final. Tomari está desacreditado após ser mandado para essa divisão e passa os seus dias fugindo do trabalho e dirigindo seu belo carro que por algum motivo resolve falar com ele, isso mesmo, o carro fala e usa sarcasmo e retórica melhor que muitas pessoas. no meio dessa confusão ele acaba se mostrando compatível com os poderes dados pelo Drive Driver que contém a as memórias e a consciência do doutor Krim que agora possui três formas, o carro, o belt e um carrinho em miniatura que é bem legal.

 

Krim morreu ao tentar salvar o mundo do Global Freeze. Os roidmundes com passar dos episódios se mostram exemplos da teoria do bom selvagem, o homem nasce bom a sociedade o corrompe, eles se conectam aos primeiros humanos que encontram e tem as emoções dos humanos amplificadas dentro de si, ou seja o mau veio das pessoas, não roidmundes que nasceram puros. A ação e as cenas de luta dessa temporada foram muito bem sincronizadas e o roteiro amarrado rendeu um episódio final que cimentou o caminho para a nova série se encaixar na cronologia e fez os fãs antigos sentirem seus corações aquecidos, tudo com um pequeno detalhe mostrado no primeiro episódio que se torna uma jogada de mestre.

 

A não ressurreição de Chase foi um outro ponto de impacto já que por mais personagens morram aqui e acolá em tokusatsus, são bem poucos os que não ressuscitam para o final de novela da Globo no último episódio e Chase infelizmente foi um deles, o ator deu vida ao roidmude heróico e sem emoções de maneira sensacional e a carga dramática com a morte do Rider Chaser fez Gou cair na real e perceber que as vezes o mundo é cinza e não o clássico preto no branco, apesar da minha vontade de escrever um TTC sobre esta série, sei que muitas das pessoas que vieram parar aqui não assistiram tomarem spoilers que realmente estragam a apreciação da trama.

 

A trilha sonora é fantástica e música de abertura é incrível.

 

https://www.youtube.com/watch?v=ToWdmzTEHK0

 

NOTA: 8.0\10

 

Desculpem qualquer erro, esse é o meu primeiro de muitos posts como membro deste hospício.

 

Esperem por mais conteúdo escrito e coisas melhores, uma nova fase do Crazy Cast.