Kamen Rider Build – Tudo que a DC queria ser e não consegue em 5 tópicos

Senhoras e senhores, acho que já pode ser notado pelas minhas participações no podcast principal da casa e no meu primeiro post, eu sou o otaku do grupo, pois bem, eu também sou o nerd e nesta posição de ouro que rende vergonha dupla eu venho falar sobre como uma série de 49 episódios (não contando filmes e spin-offs), sem pretensão nenhuma de revolucionar acabou por se tornar algo melhor que tudo que já foi feito nesse universo DC. então sigam-me para mais uma humilhação do estúdio que deu mais chances pro Snyder que mulher de malandro.

“Adicione mais peso e uma dose de sarcasmo nocivo e esse sou eu”

 

Primeiramente eu vou dar um breve resumo de Kamen Rider Build e logo depois falo como foi dado um banho na construção porca e apressada do universo da Detective Comics Comics.

O plot da história começa dez anos depois de uma merda federal acontecer, no caso um artefato estranho foi encontrado em uma ruína em Marte, depois que o objeto foi trazido para o Japão onde foi apelidado de Pandora Box.

“Vai dar merda Capitão”

Porém durante o evento oficial da Agência de Exploração Espacial Japonesa um homem misterioso dibra a segurança a lá Ronaldinho Gaúcho e toca na caixa começando uma coisa que faria nosso odiado Trump chorar por todos os orifícios de alegria, um muro chamado de Skywall divide o Japão em três setores e ferra com todos os sistemas tornando uma unificação quase impossível e fazendo merdas acontecerem como salgar o solo da principal região agrícola do país.

 

No meio de tantas tragédias pessoas estão desaparecendo  e uma série de ataques de criaturas disformes e grotescas chamadas de SMASHS estão acontecendo criando mais caos e quando tudo parecia mais perdido que cego em tiroteio no meio da favela surge um herói estiloso pra porra.

Kiriyu Sento – O fodão da temporada

Logo no primeiro episódio vemos que esse país está divido, está beira de uma guerra civil sangrenta, pessoas estão sendo usadas como cobaias em experimentos com humanos, o rider secundário está sendo acusado de um crime que não comentou e exite uma conspiração governamental além de uma organização chamada Faust que está se encarregando e fazer os referidos testes em humanos. Para salvar as pessoas Sento deve derrotar o SMACH, remover sua essência e passar para uma garrafa especial e assim a pessoa (na maioria dos casos) estará livre sem sequelas, as vezes perdendo a memória recente.

Sem mais enrolação, vamos começar a falar sobre a chamada do post, os fatos que eu trago serão apresentados agora e no final darei meu argumento para explicar minha tese.

 

ACERTOS DE BUILD:

  1. Planejamento a longo prazo (A era Neo Heisei é planejada a longo prazo, já que com o fim da série vários personagens e tramas são exploradas nos “Taizens”, filmes próprios pra Blu-Ray, internet ou Tv mesmo, além de mangás)
  2. Desenvolvimento de personagens (Fourze é série mais antiga que eu vi e comparando com as recentes do universo Rider os arcos de crescimento de personagens e até mesmo episódios explicando as histórias deles se tornaram mais comuns e melhores trabalhados)
  3. Respeito as regras do universo (Desde cedo alguns conceitos sobre poderes, henshins e até mesmo sobre o mundo foram mostrados e seguidos a risca.)
  4. Fazer milagre com orçamento (Build não tem o orçamento de GoT ou de um filme da Liga, mas se vira com o “pouco” que tem nos visuais fantásticos e cenas de ação excelentes)
  5. Universo sombrio e realista (Como eu já havia dito, o mundo de Build possui um história sombria e triste até e isso é mostrado, porém sabiamente intercalado com alívios, não necessariamente sendo uma piada, mas as vezes um gesto de amizade entre os personagens já te relaxa e deixa pronto pra mais sequência de porrada ou uma revelação bombástica)

Uma conversa com alguém especial te dá forças pra seguir em frente

ERROS DO DCU:

  1. Falta de Planejamento a longo prazo (Sério, colocar o logo das indústrias Wayne no satélite foi easter-egg e só, a gente sabe que não era pra ter BvS depois disso, foi uma decisão de merda e ferrou tudo pra DC, como minha avó diz, a pressa é inimiga da perfeição)
  2. Falta de desenvolvimento de personagens (Caramba, o pai do Super em Smallville dá um show nesse WaterWorld falando sobre deixar crianças morrerem e se matando em um tornado, como esperar que o maior herói de todos os tempos consiga ser alguém normal depois de ser criado por esse cara ? no mínimo dez anos de terapia, fora o Batman que não deveria usar armas se tornando o primo rico do Justiceiro e brincando de rei do gado, já que ele curte marcar bandidos.)
  3. Regras pra quê ? Dona Wilma, traz mais uma carreira de pó pros executivos da Warner ! (Porra, os poderes de cada personagem mudam de filme pra filme, a Mulher Marilha ganha e perde a super velocidade mais que o Barry da série, fora os raios que saem do cu do Barry bizarro do filme, além de já ter sido dito que no filme do aquamomoa não teremos as bolhas para falar de baixo d’água, ou seja, estamos vendo um samba do crioulo doido)
  4. Gastar dinheiro pra porra em coisas inúteis por ter sido escroto antes (o infame bigode, não o meu mentor do Weekcast e sim o do Cavill que não pode ser tirado devido a birinha de criança com a Universal pelo nome de darkverse, ou seja, foram babacas e quando precisaram pedir autorização para remover o bigode levaram um sonoro não e vai dinheiro pra consertar isso, dinheiro pra refilmar as merdas do Snyder e adicionar cor e sentido no que ele fez, ele é um bom diretor de ação, mas não sabe conduzir filmes que precisam de mais profundidade que uma banheira de recém-nascido)

Ia ter sido tão melhor

     5. Universo onde o Sol não bate e onde tudo fica perto do posto Ipiranga (Sério, o Super com cara de quem tá         prendendo a merda no metrô e quer dar uma cagada em casa, o Batman que espanca o cara e depois diz ser o mano do cara e que respeitava ele pra caramba, a Diana que sumiu, mas não sumiu, o Flash que roubava pra se sustentar, e fora que o Batman ficar fazendo piadinha de que o poder dele é o dinheiro, sério ? depois o dczetes vem falar mal do Stark…, fora que Gotham se tornou o Rio de Janeiro e Metrópolis agora é Niterói, tem até a ponte que liga as duas !)

 

CONCLUSÃO:

 

A falsa modéstia do Snyder, ou melhor dizendo, nula, afinal, o que podemos esperar de alguém cheio de fracassos na carreira que ainda sim se chama de visionário, sua busca pelo sombrio e realista resultou no nascimento de um natimorto universo DC no cinema, nos fazendo perder as esperanças até o próximo reebot nos cinemas, Cavill é um cara carismático, tem porte pra ser Superman, sabe atuar e é desperdiçado e atua com cara de bunda nos filmes da DC. Um um diretor pegando o projeto do zero talvez consiga salvar aos 45 do segundo tempo, já Build prometeu uma aventura divertida e entregou algo sério, profundo, sombrio em vários momentos, tenso, mas sem perder os elementos divertidos quando necessário e sua cor, as cores são gritantes e vivas e isso contrasta com a série dando uma beleza incrível.

 

Enfim, o universo DC está perdido enquanto os últimos momentos da Era Heisei são felizes e esperançosos para o futuro.

 

Preparando pra misturar o recalque das inimigas