Astronauta Magnetar – Review

01

“Espaço: a fronteira final. Estas são as viagens da nave estelar Enterprise. Prosseguindo em sua missão de explorar novos mundos, procurar novas formas de vida e novas civilizações, para audaciosamente ir onde ninguém jamais esteve.”

Por mais que essa seja a introdução das histórias do clássico seriado Star Trek serviria perfeitamente para resumir do que se tratam as aventuras do clássico personagem Astronauta.

Nos idos de 1963 foi encomendado ao metre Maurício de Souza um personagem espacial nacional para disputar com Buck Rogers e Flash Gordon e assim surgia Astronauta Pereira, integrante da BRASA, que se lançou ao espaço deixando família, amigos e todo o resto para trás, partiu com uma missão em mente, conhecer o desconhecido.
Passaram-se muitos anos e em 2011 Sidney Gusman anunciou o selo Graphic MSP, uma série trimestral onde a cada nova edição um artista nacional seria convidado para fazer uma releitura um pouco mais adulta de um personagem do Maurício e o primeiro escolhido foi o Astronauta pelas mãos do competente Danilo Beyruth.
Danilo Beyruth, caso você não conheça ainda, é o responsável pelos excelentes Bando de Dois e Necronauta, obras maravilhosas que em breve tornarei a falar delas. A arte dinâmica do artista deixa as cenas de ação com um gostinho mais do que especial.

As cores de Cris Peter casam perfeitamente com a arte e dão um sabor a mais na história, mostrando que uma boa colorização acrescenta muito para arte. Destaque para as páginas iniciais, onde temos uma conversa do Astronauta, ainda jovem, com o seu avô, as cores estão simplesmente fantásticas.
Falando enfim da trama, ela gira em torno do Magnetar, evento que dá nome ao álbum. O Astronauta é mandado para fazer uma pesquisa em relação a um Magnetar e acaba ficando preso devido à circunstância que vocês verão ao lerem.

Danilo Beyruth consegue passar toda solidão e todo o sofrimento que Maurício de Souza deu para o personagem em sua concepção inicial, conseguindo assim dar a sua cara para o Astronauta, ao mesmo tempo em que ele não se distancia do personagem inicial.
A obra toda merece um lugar na sua estante, tanto pela qualidade quanto pelo preço convidativo. Por R$19,90 você leva a edição de capa cartonada e por módicos R$29,90 você leva o capa dura.

Obs.: após a compra vale a pena uma lida com muito carinho a sequência da página 47 até a página 57.

Postado em: HQ
  • Bruno Valério

    Aprendeu a usar o corretor ortográfico, né?

    • maia

      Texto ñ é meu e q o viado nao botou assinatura e eu equeci!

      • Tião

        Mas tu é burro até pra ser burro hein maia….